Economia da China: setores com maior tendência de crescimento do país

Não é preciso ser gestor ou integrante do time de importação de uma empresa, para reconhecer é fundamental acompanhar as tendências da economia da China, certo? 

Por isso, ficar atualizado sobre o que está acontecendo e quais são as próximas tendências de negócios na China é um bom jeito de se organizar e implementar estratégias positivas na sua empresa.

Quer saber por que essas tendências são tão importantes para a economia na sua empresa? Para entender melhor tudo sobre a economia chinesa e como ela pode ajudar nas próximas negociações para a sua empresa, confira abaixo.

Aqui você verá:

1. Qual a importância da economia da China para o mundo

Atualmente, a China é considerada a maior economia do BRICS, o agrupamento formado por cinco grandes países em crescimento (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). Juntos, estes países representam cerca de 42% da população, 23% do PIB, 30% do território e 18% do comércio mundial.

Por sua vez, a China já conta com um PIB de cerca de 15 trilhões de dólares, perdendo somente para os Estados Unidos. Com relação ao Brasil, a China está entre os principais destinos para exportação e é um dos principais países quando falamos sobre importação, já que os produtos importados contam com um excelente custo-benefício para as empresas brasileiras.

Em 2019, entre os meses de janeiro e outubro, as exportações brasileiras atingiram o valor de 51.53 bilhões de dólares e, por outro lado, as importações vindas do país atingiram cerca de 30.07 bilhões. Ou seja, não faltam argumentos para provar que a China está entre as principais fontes de investimento estrangeiro direto no Brasil.

A China também marca presença e destaca-se quando o assunto é o setor de infraestrutura, com a geração e transmissão de energia para áreas portuárias e ferroviárias.

O país tem uma força muito grande quando se fala em inovação e, logo, todos os olhos ao redor do mundo voltam para lá quando se trata de novidades nos setores de tecnologia, comércio e financeiro. 

Nos anos 2000, a China passou a fazer parte da Organização Mundial do Comércio e expandiu ainda mais seu mercado. Neste período, grandes empresas com forte atuação na internet surgiram, como o Alibaba, que nutriam uma grande inspiração por estratégias de empresas ocidentais. 

O que ninguém esperava era que uma vez que as empresas chinesas foram inspiradas por empresas no comércio exterior, logo viriam a se tornar referência no mercado.

Inclusive, o grande sucesso que a China conquistou entre os anos 2000 e 2010, se dá, principalmente, pelo “boom” dos celulares e da internet móvel. Naquele momento, a internet podia ser acessada a qualquer hora, de qualquer lugar. Portanto, o e-commerce também teve sua chance para crescer exponencialmente.

E, já que falamos sobre o Alibaba e as empresas que surgiram e fizeram parte da construção do polo comercial da China como o conhecemos hoje, vale comentar sobre o conceito de Novo Varejo, apresentado por Jack Ma em 2016, fundador do Alibaba, já previa que a tendência seria certeira. 

E, a China, cresceu ainda mais e se tornou líder em comércio eletrônico e varejo, tornando-se o palco principal desta mudança.

Isso quer dizer que o país tem introduzido cada vez mais o modelo digital de consumo em comércios que, normalmente, exigiam que o consumidor estivesse presencialmente na hora da compra, como mercados, mercearias, shoppings e lojas de conveniência.

1.2 A economia chinesa durante a pandemia de Covid-19

Por conta das restrições impostas pelo isolamento social, as vendas on-line dispararam, o que fez com que o processo de migração de compras em lojas físicas para o e-commerce avançasse cinco anos ou mais, em poucos meses.

O que isso quer dizer? Se antes o consumidor preferia ir até as lojas pessoalmente para conferir a qualidade dos produtos antes de adquiri-los, hoje, a internet oferece todas as ferramentas necessárias para que este tipo de compra seja realizada on-line, com muito mais conforto, rapidez e segurança.

Durante o surgimento da pandemia da Covid-19, a China alcançou um crescimento de cerca de 2,3% em 2020, o que surpreendeu o mercado mundial que ainda lidava com quedas no Produto Interno Bruto (PIB), fenômeno que também atingiu o Brasil. Por mais que tenha fechado com crescimento durante a crise, este desempenho ainda foi fraco comparado aos outros anos.

Este número coloca a segunda maior economia do mundo na vanguarda da recuperação mundial em termos do PIB, que é a soma das riquezas produzidas por um país. 

Acontece que a economia da China continua a crescer de uma forma que ainda parece distante para outros países afetados pela pandemia retomarem.

Analistas ainda apontaram que as medidas rígidas de isolamento social implementadas para controlar o vírus, combinadas com incentivos governamentais, funcionaram bem. Logo, isso foi parte fundamental da recuperação do país durante este período.

Vale lembrar que na época, o governo chines implementou recursos econômicos que faziam parte de um uma série de incentivos fiscais, entretanto, o setor cresceu verdadeiramente por conta de empresas do setor de softwares, tecnologia e informação.

Então, a China foi o primeiro país a entrar na pandemia, mas também foi um dos primeiros a se recuperar dela, diferente de outras economias ocidentais, que ainda lutam para se restabelecer, além de lidar com novas restrições e outros tipos de variantes do vírus que assolou o mundo nos últimos meses.

2. Os setores da indústria que mais crescem no país

Todo esse crescimento foi dividido entre setores da indústria este ano. Com base na análise de especialistas e em um banco de dados de mais de 280 indústrias da China, a IBISWorld fez um levantamento de indústrias de crescimento mais rápido na China por crescimento de receita (%) em 2021. Confira abaixo.

Os 10 setores da indústria que
mais crescem na China em 2021:

1. Transporte ferroviário de passageiros
Crescimento da receita: 55,3%
2. Serviços de Internet
Crescimento da receita: 24,9%
3. Compras on-line
Crescimento da receita: 18,5%
4. Fabricação de Dispositivos Médicos
Crescimento da receita: 18,1%
5. Operação de rodovias com pedágio
Crescimento da receita: 17,7%
6. Serviços de transmissão por satélite
Crescimento da receita: 15,3%
7. Produção de filmes
Crescimento da receita: 15,2%
8. Jogos on-line
Crescimento da receita: 15,2%
9. Mercado de suínos
Crescimento da receita: 15,1%
10. Serviços de corretagem e transações de títulos
Crescimento da receita: 15,0%

Fonte: IBISWorld

Na lista dos setores que mais cresceram, a indústria ferroviária cresceu pois há muitos anos as ferrovias há muito são consideradas um meio de transporte seguro, eco-friendly e com baixo consumo de combustível.

Por conta da vasta área geográfica da China, grande população, rápida urbanização e forte demanda por matérias-primas, o transporte ferroviário oferece uma solução de transporte econômica que combina bem com a estratégia de crescimento sustentável do país.

Por outro lado, o número de usuários acessando a internet no país também aumentou rapidamente no período. O surto de Covid-19 na China impulsionou a demanda do mercado por este tipo de serviços, logo as empresas especializadas cresceram e expandiram seus serviços.

Com o aumento no número de usuários, a indústria de compras on-line expandiu-se e, junto com a crescente popularidade do comércio eletrônico, a indústria ganhou o terceiro lugar entre os setores da indústria que mais cresceram.

A indústria de produção de equipamentos médicos não fica muito atrás na lista. Quando os produtos de proteção, tratamento e contenção da Covid-19 se tornaram itens essenciais, a demanda por empresas que produzem este tipo de material também cresceu exponencialmente.

Seguindo a lista, o aumento na indústria de operação de rodovias com pedágio se deu porque os operadores de estradas com pedágio cobram dos motoristas o direito de dirigir nas rodovias. Eles cobram pedágios para compensar o investimento na construção das rodovias e também na sua manutenção.

Assim como nos setores de serviços de internet e compras on-line, a indústria de serviços de transmissão por satélite tem se beneficiado da crescente demanda por transmissão de televisão e comunicação por satélite.

O próximo setor a ser impactado pela crescente também tem a ver com o entretenimento. O desejo do público por consumir conteúdos culturais como filmes e seriados também aumentou durante o período de pandemia, logo, impulsionando ainda mais a indústria de produção de filmes.

Acompanhando a crescente relacionada à internet, a popularidade dos jogos on-line cresceu rapidamente na China durante o período. 

Estima-se que aproximadamente 58,4% dos usuários da internet agora jogam jogos on-line, valorizando ainda mais o setor de desenvolvimento e distribuição de jogos on-line.

Por fim, a indústria alimentícia de suínos e o mercado de ações e corretagem ocupam o 9º e 10º lugar da lista, respectivamente. Isso porque, a carne de porco ainda é uma das mais consumidas no país e, no que tange o mercado de ações e valores mobiliários, a China vem se recuperando gradativamente de uma queda acentuada que sofreu há mais de 10 anos.

Então, a recuperação da economia da China depois do coronavírus avançou com força em novembro de 2020 e, a partir daí, os indicadores da produção industrial também indicaram aumentos, mais do que em qualquer outro mês de 2020. 

Vale pontuar que a economia chinesa sofreu um declínio considerável no começo daquele ano e sua recuperação foi guiada pelo crescimento em exportações, durante um momento onde outros países ainda enfrentam dificuldades econômicas.

3. Por que acompanhar as tendências da China na hora de importar?

Os hábitos de consumo ao redor do mundo mudaram, não só por conta da pandemia de coronavírus, mas porque os hábitos de consumo fazem parte de um mercado vivo e mutável.

Com isso, as novas tendências de varejo voltaram-se para o Oriente. De tecnologias inovadoras aos novos canais de vendas, o mercado tem se renovado a cada ano. E para se manter competitivo no mercado de importação, acompanhar as tendências do varejo na China é essencial.

Além disso, a China está entre os maiores produtores do mundo, além de ser um país que se preocupa não só com a qualidade dos produtos que importa para os outros países, mas também por contar com uma preocupação social e ambiental de maneira geral.

Isso quer dizer que fatos como esse confirmam a transformação nos hábitos de consumo, não só entre os chineses, mas em outros países ao redor do globo. 

Empresas do setor de ciência e tecnologia, por exemplo, que normalmente já cresciam ao longo do ano, enxergaram na pandemia global uma oportunidade de aperfeiçoar seus serviços e atender a alta demanda dos importadores.

A recuperação econômica permitiu que a China assumisse um papel mais dominante no comércio mundial, que também ganhou um balanço constante em novembro de 2020.

As exportações subiram cerca de 21,1%, a maior alta desde fevereiro de 2018, aumentando o saldo comercial da China ao nível mais elevado registrado em anos.

Vale lembrar que a China é a segunda maior economia digital do mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos, e lidera o mundo no valor de muitas aplicações digitais, incluindo comércio eletrônico e pagamentos móveis. 

O país é responsável por 40% das transações globais de comércio eletrônico, maior do que o valor da França, Alemanha, Japão, Reino Unido e Estados Unidos juntos.

Logo, acompanhar as tendências de comércio que surgem no oriente, é um bom indicativo para aplicar aos seus negócios e não perder oportunidades.

Se você estava em busca de um empurrão para começar a importar da China, ou se já faz isso, mas precisava sentir-se mais motivado pelos indicadores do mercado, sua hora chegou! 

Lembre-se também que a Guelcos pode te ajudar a encontrar os fornecedores ideais e organizar seu processo. A consultoria de comércio exterior é capaz de auxiliar no processo de importação da China, reduzindo custos de risco, pessoal e de tempo.

O que você achou do nosso artigo sobre a economia da China, setores em crescimento e importância de ficar atento às novidades do oriente? Para conferir conteúdos como este e muito mais, inscreva-se e receba a newsletter semanal da Guelcos! Você receberá os índices de fretes da China semanalmente, sempre às segundas-feiras.

vinicius alves marques guelcos international CIO

Vinícius Alves MARQUES

ESPECIALISTA EM IMPORTAÇÃO DA CHINA E CIO NA GUELCOS

Siga a Guelcos International nas redes sociais e fique sabendo mais sobre importações empresariais e missões para a Ásia!

Show Buttons
Hide Buttons