5 motivos que podem inviabilizar o seu processo de importação

Quando pensamos em um planejamento de importação, estamos falando da base de toda operação. Ou seja, um ciclo com uma ordenação lógica, em que o estoque no fechamento de certo período é igual ao estoque na abertura do período seguinte, e assim sucessivamente.

Por isso, é fundamental que empreendedores, gestores, profissionais do setor de compras para o varejo ou a indústria, estejam alinhados, façam um bom planejamento e comprem mercadorias na quantidade correta, e com prazos que atendam ao seu planejamento. Assim, será possível fazer a importação de produtos em grande volume, garantindo ainda mais lucratividade aos seus negócios.

Para quem trabalha com importação da China, por exemplo, ter um planejamento estratégico em relação aos fornecedores e a operação completa é a melhor forma de aproveitar sempre os melhores preços e condições do mercado.

Porque com os parceiros chineses certos, uma empresa de varejo pode reduzir de maneira significativa os custos de aquisição, frete, armazenamento e logística. Tudo isso sem perder na qualidade dos produtos, aprimorando o catálogo e os prazos de entrega e maximizando a rentabilidade das vendas.

No entanto, existem alguns tipos de entraves que podem inviabilizar seu processo de importação, então, é preciso ficar atento e realizar um bom planejamento, reduzindo as chances para que isto aconteça. Entenda melhor abaixo.

Aqui você verá:

1. Por que o planejamento é indispensável no processo de importação?

Considerada uma das etapas mais importantes, o planejamento da operação é a base de qualquer processo de importação

Tanto no que diz respeito às informações necessárias, quanto aos procedimentos, o responsável pela importação precisa estar atento a todas as etapas do processo de informação, mas antes de qualquer coisa, deve elaborar um bom planejamento e fazer um estudo de viabilidade.

O planejamento deve levar em consideração algumas etapas importantes, isso porque se caso algum desses itens não for levado em consideração, a importação pode sofrer com empecilhos e, logo, pode ser impedida de continuar. 

Conheça alguns pré-requisitos para que sua operação aconteça sem problemas.

Primeiro, a Classificação Fiscal. Quando o tipo de mercadoria que será importada é definida, é preciso checar a Classificação Fiscal. Nela é possível identificar a NCM (Nomenclatura Comum do Mercosul) para entender qual tipo de tratamento administrativo deve ser realizado, além do recolhimento de impostos.

Neste caso, o tratamento administrativo mostrará quais restrições o produto terá ao ser importado e se é preciso ter autorização por parte de algum órgão anuente. 

Quanto aos impostos, cada classificação fiscal possui alíquotas de impostos federais (II, IPI, PIS e COFINS) e estaduais (ICMS), para que quando houver nacionalização (registro da Declaração de Importação), estes sejam direcionados à União.

Se houver alguma divergência entre o classificado e o produto de fato, as multas e penalidades são gravíssimas e podem inviabilizar a sua operação. Então, consulte a NCM e verifique qual classificação melhor se adequa à sua mercadoria.

Depois de verificar a classificação fiscal, é hora de buscar fornecedores e trabalhar na negociação

Neste momento, é preciso realizar uma pesquisa minuciosa pelo mercado internacional para encontrar os melhores produtos, vindos de uma empresa confiável, com bom preço e um tempo de entrega que atenda as necessidades do seu negócio.

Como já falamos anteriormente, em alguns casos, realizar essa busca e consultar fabricantes em sites como o Alibaba costuma ser uma boa opção por facilitar o conhecimento e a aproximação entre fornecedor e comprador.

Depois disso, foque na avaliação do fornecedor e do produto. Confira a reputação dele em sites especializados e, caso não encontre, entre em contato com a embaixada do país do vendedor para checar informações sobre o fornecedor, idoneidade e quaisquer outros dados relevantes para sua operação. 

E, para avaliar o produto, fique atento a algumas ações antes de realizar o pagamento. São elas:

  • Conferir o produto antes de embarcar;

  • Pedir para o fornecedor enviar uma amostra;

  • Em alguns casos, terceirizar o trabalho com uma empresa especialista em Qualidade.

Depois de avaliar tudo o que for necessário sobre produto e fornecedor, faça o levantamento dos custos operacionais. Para isso, leve em consideração o frete e o seguro internacionais e tudo o que envolve esses itens, mesmo que sejam apenas custos aduaneiros, como picking, custos EXW, embalagem, manuseio na origem, etc.

Nesta etapa, entenda como sua empresa fará o estoque da mercadoria, quem irá transportá-la em território nacional, cheque o valor do seguro e como será a distribuição da mercadoria após a chegada em seu armazém. Então, confira a necessidade e disponibilidade de contratar um Despachante Aduaneiro para realizar a nacionalização.

Então, chega a hora de fazer mais um estudo: o levantamento dos custos aduaneiros e tributários. Os custos aduaneiros são aqueles inerentes à Aduana. 

Portanto, estes são os incidentes sobre a pré-nacionalização do produto. Entre eles estão: o frete e seguro internacionais, capatazia, conhecido como THC – Terminal Handling Charge, além de Marinha Mercante e a Taxa de utilização do SISCOMEX.

Nessa categoria também entram os custos de transporte e a armazenagem portuária e, caso tenha alguma remoção para um recinto alfandegado (para evitar maiores valores no Porto), toda uma cadeia de serviços, como DTC (Declaração de Trânsito de Contêiner), desova, entre outros tipos de vistorias.

Quanto aos custos tributários, destacam-se os impostos federais e estaduais que você já deve conhecer por conta da classificação fiscal:

  • Imposto de Importação (II);

  • Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI);

  • Programa Integração Social (PIS);

  • Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS);

  • Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS)

Por fim, seu planejamento pode chegar ao fim quando todas as etapas anteriores forem completadas e chegarem ao passo final: a formalização da compra internacional.

Para iniciar um planejamento, tudo isso que falamos deve ser levado em consideração, mas existem outras razões para se atentar e não inviabilizar o andamento da operação de importação. Confira abaixo.

2. Motivos que podem inviabilizar a importação

Uma operação de importação é um processo repleto de detalhes que precisa ser muito bem estudado antes mesmo de começar. Portanto, para que sua importação não seja barrada, conheça alguns pontos que devem receber atenção durante o processo.

2.1. Volume de compra

A importação acima de US $3 mil tem regras específicas. Portanto, é necessário sempre avaliar os custos da operação com muita atenção, pois, dependendo do volume, eles podem inviabilizar a importação de pequenas quantidades e/ou valores. Vale lembrar que esse tipo de custo vemvêm da operação, como custos operacionais de desembaraço aduaneiro, frete, seguro, entre outros.

Portanto, entre os procedimentos logísticos de embarque e desembarque, é preciso ter uma relação dos produtos embarcados muito bem estabelecidos, indicando os tipos de volumes, quantidade, dimensões, peso líquido e bruto, além dos seus respectivos conteúdos.

2.2. Estudo antecipado de certificações e licenças especiais

Dependendo do tipo de produto que sua empresa irá importar, é preciso ficar atento às certificações e licenças especiais que esse tipo de operação exige. 

Então, realizar um estudo antecipado e ter a mão tudo o que é necessário para que sua mercadoria possa embarcar e não sofrer com nenhum tipo de entrave, é fundamental.

2.3. Falta de diferenciação no produto

Aqui entramos em uma área mais próxima da análise e elaboração de uma estratégia de buscar diferenciação do produto para enfrentar a concorrência estrangeira. Neste caso é necessário analisar a concorrência em aspectos como preço, diferenciação de produto e importância de marca.

Esta análise do nível de competitividade é importante para determinar as estratégias que você pode usar para se diferenciar em relação aos seus concorrentes. Isso porque a diferenciação tem que ser feita a partir da importância que o mercado atribui à sua empresa.

2.4. Falta de planejamento dos embarques

O embarque é, provavelmente, uma das etapas mais importantes da sua operação.

 Portanto, remessas de pedidos incorretos ou incompletos, dificuldade no embarque e atrasos no envio das mercadorias são algumas das consequências observadas quando a administração não dedica atenção a essa atividade.

2.5. Falta de foco

Vários problemas podem dificultar o alcance dos resultados pretendidos pelas empresas durante uma importação.

A falta de foco, assimetria de informações, complexidade da relação contratual existente, custos de transação elevados, falta de capacitação tecnológica e industrial do país importador, aspectos relacionados à propriedade intelectual, entre outras questões, fazem parte das razões para inviabilizar o processo.

Para o profissional de áreas como o varejo e a indústria, que precisa fazer a importação de produtos em grande volume, é fundamental estar por dentro de todas as etapas da operação, além de contar com mão de obra especializada para auxiliar durante a importação, evitando possíveis entraves e garantindo ainda mais lucro aos seus negócios.

3. Entenda como a Guelcos pode ajudar varejistas no processo de importação

Caso você seja responsável por uma rede varejista que esteja procurando suporte para sua importação, o ideal é encontrar empresas que auxiliem seu negócio para a realização de uma operação lucrativa. Assim, sua empresa tem mais chances de fortalecer os laços comerciais e estender os benefícios das negociações.

Então, todo gestor ou empreendedor pode realizar uma busca profunda na internet e entrar em contato com cada um dos fornecedores, ou então, ir até o país em questão para visitar as famosas feiras e poder escolher seus parceiros ao vivo.

Enquanto a primeira opção demanda tempo, colaboradores e domínio na comunicação, a segunda exige esses requisitos acrescido de um alto investimento para viajar, sem falar que durante o período de pandemia, o ideal é reduzir as viagens até que seja seguro novamente.

Se essas duas alternativas são inviáveis no momento, existe uma terceira opção que com certeza facilitará a decisão: a consultoria em comércio exterior oferecida pela Guelcos Internacional.

Com sede em Hong Kong e profissionais especializados que estão alocados em território chinês, a Guelcos cuida de todas as etapas de importação enquanto cuida do seu negócio no Brasil.

Então, assim que encontrar um fornecedor confiável, que ofereça produto que a sua empresa deseja adquirir e revender aos clientes, com preço bom e um prazo de entrega dentro do que você precisa, é importante considerar esse auxílio prestado por uma consultoria de importação.

Vale pontuar ainda que os produtos importados da China podem cair como luvas em seu negócio. O empresário brasileiro que aproveita a boa relação entre os países pode se diferenciar em seu nicho e obter maiores lucros. No entanto, é preciso realizar a operação de maneira certa e organizada.

Após conhecer o seu negócio e os produtos que você busca, os profissionais fazem uma análise completa, mapeando todos os fornecedores disponíveis de acordo com seu nicho que oferecem as melhores condições comerciais.

 Lembrando que, enquanto gestor do varejo ou da indústria, o foco deve ser manter tudo funcionando 100%. De forma que, em caso de contratempos, o processo de importação não seja comprometido.

Na maioria das vezes, os maiores custos da importação de produtos ficam a cargo dos tributos. 

Então, é importante contar com o auxílio de profissionais especializados para conferir as taxas que são cobradas sobre cada mercadoria, já que podem impactar significativamente os valores finais da operação.

Ao contar com a expertise da consultoria em comércio exterior da Guelcos, não é preciso se preocupar com a busca, seleção e gestão de fornecedores, nem com o cumprimento de requisitos fiscais e outros detalhes relacionados à importação. Tudo isso será cuidado nos mínimos detalhes por pessoas que realmente entendem do assunto e que querem ajudar a revolucionar o seu negócio.

No final, para que o processo de importação aconteça sem problemas ao longo do caminho, transformando seu negócio em uma fonte de renda lucrativa, escolher uma consultoria que ofereça as melhores soluções é essencial.

Ter um processo livre de entraves pode impactar diretamente nos resultados finais de sua margem de lucro, lucro real e rentabilidade. Ao contar com a Guelcos, é possível traçar a estratégia ideal para o seu negócio, garantindo o custo-benefício de importar da China com facilidade e eficiência.

Gostou das dicas sobre como ter um processo de importação livre de empecilhos? Para conferir mais conteúdos como esse, inscreva-se e receba a newsletter semanal da Guelcos. Assim, você receberá os índices de fretes da China semanalmente, sempre às segundas-feiras.

vinicius alves marques guelcos international CIO

Vinícius Alves MARQUES

ESPECIALISTA EM IMPORTAÇÃO DA CHINA E CIO NA GUELCOS

Siga a Guelcos International nas redes sociais e fique sabendo mais sobre importações empresariais e missões para a Ásia!